Violência

Mulher também mata mulher: veja alguns casos ocorridos em Julho

Daniel Reynaldo
05 de agosto de 2021


O perfil Mulher também mata promove um útil trabalho de catálogo e divulgação de crimes diversos cometidos por mulheres. Não há tentativa de demonizar o sexo feminino, mas de rechaçar a narrativa misândrica sobre “Violência contra a mulher” que tomou forma e força nas últimas décadas no país e no mundo, mobilizando a criação de leis sexistas como a Lei Maria da Penha e a Lei do Feminicídio e se tornando tema dioturno das comunicações midiáticas e oficiais.

Um dos elementos centrais da narrativa sobre “Violência contra a mulher”, presente na própria expressão, é a coletivização dos episódios isolados de violência que envolvem mulheres no papel de vítima. Quando ouvimos falar de um assassinato contra um homem não repetimos que aquele é mais um caso de “violência contra o homem”, não existe uma tentativa de categorizar todas as histórias de violência sofridas por homens numa única intepretação semântica, sociológica, criminológica: há homens que morrem assassinados por mulheres ciumentas, há outros que morrem assassinados por mulheres que têm interesse em herdar seus bens ou receber os prêmios de seus seguros de vida, há outros ainda que são assassinados por vingança relativa a agressões anteriores, e há homens que são assassinados por rivais do mundo do crime, ou por brigas relacionadas a futebol, ou até – raramente – por ódio ao sexo masculino (caso do menino Rhuan Maycon, assassinado por um casal de lésbicas há dois anos).

Os crimes contra mulheres são tão diversos quanto, em suas motivações e circunstâncias, mas a classificação desonesta sob a umbrela “violência contra a mulher” permite aos publicitários da agenda de ódio feminista (filósofos, políticos, jornalistas…) construir uma interpretação fictícia e generalista: mulheres morrem nas mãos de machos que as odeiam e as aprisionam em relações amorosas violentas. Ponto final.

Os fatos não suportam as narrativas, mas quem liga para os fatos. A maioria dos assassinatos ocorridos no Brasil não são elucidados, mas a Mulher também mata relata alguns casos de homicídio contra mulheres cuja autora era outra mulher. Aqui são apresentados apenas os homicídios ocorridos em julho do ano passado, e as histórias dos assassinatos envolvem desde brigas cotidianas até disputas associadas ao tráfico de drogas. Veja:

ESPANCADA ATÉ A MORTE: CORPO JOGADO NO RIO
Neuma Lúcia dos Santos teria tido uma discussão verbal com sua assassina e cometido algumas injúrias. Isso bastou para que a mulher xingada agredisse fisicamente a idosa de 63 anos, até que ela viesse a óbito. Após o assassinato, a homicida lançou o corpo nas águas do São Francisco. Denúncias anónimas permitiram que a polícia alagoana prendesse a criminosa, que confessou.

https://diarioarapiraca.com.br/editoria/policia/mulher-que-matou-idosa-e-jogou-o-corpo-no-rio-e-presa-em-piacabucu—/3/75830

DISCUSSÃO ENTRE DUAS CRIMINOSAS LEVA À MORTE DE UMA DELAS, POR FACADA
Iana Carolina Matias dos Santos era moradora de rua, usuária de drogas e tinha passagens pela polícia. Entrou em uma discussão, por motivo não esclarecido, contra outra mulher que também tinha passagens pela polícia. Foi esfaqueada e morta. Caso acontecido em Teresina, Piauí.

https://g1.globo.com/pi/piaui/noticia/2021/07/16/moradora-de-rua-e-morta-a-facadas-proximo-a-mercado-publico-em-teresina-e-suspeita-e-presa.ghtml

LÉSBICA A NAMORADA E ALEGA DISCORDÂNCIA QUANTO A ENVOLVIMENTO COM O TRÁFICO
Na cidade mineira de Vazante, uma lésbica matou a namorada e alegou que a vítima estava envolvida com o tráfico de entorpecentes. O crime foi cometido a golpes de faca e a matéria não dá muitos detalhes a mais.

https://g1.globo.com/mg/triangulo-mineiro/noticia/2021/07/12/jovem-e-esfaqueada-e-morta-por-companheira-em-vazante.ghtml

MULHER MATA FILHA DE APENAS 1 ANO DE IDADE, E ALEGA SURTO PSICÓTICO
Uma mulher foi presa em flagrante após matar a própria filha. O crime aconteceu na cidade de Barbacena, Minas Gerais. A própria assassina pediu a um desconhecido para que ligasse para a polícia e alega ter tido um surto psicótico.

https://tribunademinas.com.br/noticias/regiao/13-07-2021/mulher-e-presa-sob-suspeita-de-matar-filha-de-1-ano-em-barbacena.html

https://g1.globo.com/mg/zona-da-mata/noticia/2021/07/27/suspeita-de-matar-filha-em-barbacena-sera-indiciada-por-feminicidio-e-violencia-domestica-avo-tambem-respondera-pelo-crime.ghtml

CRIANÇA DÁ ENTRADA EM HOSPITAL E MORRE, MÃE É PRESA POR MAUS TRATOS
Uma criança de apenas quatro anos, moradora da Rocinha, deu entrada em um hospital carioca com sinais graves de maus-tratos: lesões por todo o corpo, desidratação profunda. Foi o irmão, de apenas 11 anos, quem socorreu a menina. A mãe foi presa.

https://recordtv.r7.com/balanco-geral-rj/videos/mulher-e-presa-apos-filha-morrer-por-suspeita-de-maus-tratos-na-rocinha-08072021

BRIGA NA FILA DO BANHEIRO: MULHER CUMPRINDO PENA EM LIBERDADE MATA OUTRA DENTRO DE BAR
Nikelly Bruna dos Santos foi morta a facadas por Maria Isabelle Oliveira de Melo em Cajazeiras, na Paraíba. A assassina era presidiária e respondia em liberdade. No dia do assassinato ela conseguiu quebrar a tornozeleira eletrônica pela qual era monitorada e fugiu para Campina Grande, onde foi presa.

https://g1.globo.com/pb/paraiba/noticia/2021/07/28/suspeita-de-matar-mulher-a-facadas-em-bar-no-sertao-da-pb-e-presa-em-campina-grande.ghtml

CASOS ANTERIORES QUE TIVERAM EVOLUÇÃO EM JULHO

Alguns dos casos tratados recentemente pelo perfil Mulher também mata se referem a assassinatos cometidos anteriormente, mas que tiveram evolução (elucidação, ou prisão das acusadas) no último mês.

Entre eles estão a morte de duas adolescentes condenadas por um “tribunal do tráfico” por terem feito referências a uma quadrilha rival, por meio da internet. Elas foram torturadas com tamanha intensidade antes de morrerem que uma das vítimas clamou por misericórdia, implorando para deixar de apanhar e ser enterrada viva. Seis mulheres foram presas por parte no duplo homicídio.

Outro caso é o de uma mulher enciumada que matou uma amiga do ex-marido e estava foragida da justiça, sendo presa mês passado pela polícia do Rio de Janeiro.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s