Sátira

10 expressões que você ainda não sabia que são racistas, mas deve deixar de usar imediatamente

SIGA QUEM? NÚMEROS NAS REDES SOCIAIS


A coisa tá preta para os falantes de língua portuguesa. Muitas vezes nem temos a intenção de denegrir ninguém, mas sempre corremos o risco de deixar alguém (um negro, um mulato, ou até mesmo um branco progressista) ofendido. O problema acontece quando não prestamos atenção nas palavras e expressões cotidianas e acabamos divulgando mensagens de meia tigela, feitas nas coxas. Aí ninguém se entende e a conversa vira um verdadeiro samba do crioulo doido.

O credibilíssimo portal de notícias UOL publicou uma matéria intitulada “Dia da Consciência Negra: 10 expressões do português de origem racista”. Na tal matéria, 10 expressões vernáculas do nosso idioma são apresentadas como racistas com base em pseudoetimologias tiradas da bunda por algum funcionário da Defensoria Pública do Estado da Bahia, órgão que divulgou uma cartilha recente sobre o tema.

Tenho certeza de que você, pessoa descolada e super antenada na luta contra o racismo, não usa mais nenhuma das expressões da lista negra divulgada pelo UOL, mas é melhor você ficar atento, porque o rol de palavras e expressões proibidas não para de crescer. Inspirados na fake news fabricada pela Defensoria Pública do Estado da Bahia e disseminada pelo UOL, pesquisamos mais 10 expressões que você nem imaginava que tinham origem racista, mas que deve eliminar do seu vocabulário ainda hoje. Vamos ver quais são?


Anúncios

1| TOMAR VERGONHA NA CARA

Quando negros fujões eram recapturados, os senhores de escravos costumavam determinar que eles recebessem socos no rosto como forma de punição. Os murros eram tão fortes que deixavam hematomas. Os escravos fujões acabavam ficando muito envergonhados de voltar para a senzala com o rosto todo inchado. Depois destes dolorosos episódios, os escravos ficavam mais receosos de tentar uma nova fuga e era então que se dizia que “tinham tomado vergonha na cara”.

2| O GATO COMEU SUA LÍNGUA?

Como todos sabem, Borba Gato era um cruel caçador de indígenas. Ele costumava cortar parte da língua dos índios capturados, fritando para comer como tira-gosto. Os índios perdiam a capacidade de falar, sem parte da língua. Por isso quando um índio ficava sentado, isolado no seu canto, sem falar com ninguém, os outros índios perguntavam: “Que foi? O (Borba) Gato comeu sua língua?”.

3| DAR COM OS BURROS N’ÁGUA

Que mulato vem de mula, todo mundo já sabe. Que mula é o feminino de burro, também. Daí não é difícil imaginar que dar com os burros n’água é uma expressão racista que tem origem nos navios negreiros naufragados. Esta era uma forma de os comerciantes, que já haviam prometido a nova carga, anunciarem que o negócio havia sido prejudicado por motivos de força maior.

4| CACHAÇA

Cachaço é como se chamam hoje os porcos do sexo masculino destinados à reprodução nas fazendas. Durante a escravidão os seres humanos negros eram tratados como animais, e as negras reprodutivas eram chamadas de cachaças enquanto os negros reprodutores eram cachaços. O termo foi expandido para se referir à bebida porque ela era o refúgio dos negros que não tinham acesso às mulheres, pelo que os outros diziam com desdém: “Fique aí com sua cachaça que a minha está me esperando”


Anúncios

5| PÃO DE LÓ

Ló era um poderoso senhor de engenho. Ele ordenava à criadagem que fizesse dois tipos de pão. Um pão duro e sem gosto era servido aos escravos. Outro tipo de pão, macio e adocicado, era servido ao senhor e à sua parentela. Quando este pão mais palatável ficava pronto a mucama anunciava aos gritos: “está pronto o pão de Ló!”

6| VÁ PARA O FINAL DA FILA

Todos nós já vimos alguma pessoa negra tentando passar a frente no caixa eletrônico e algum branco gritando: “Ei! Vá para o fim da fila!” Esta é uma maneira racista de garantir que os negros fiquem atrás dos brancos. Se você já viu isso acontecer com as etnias trocadas não interessa: não existe racismo reverso.

7| PEGUE O POMBO

Este inocente desenho animado não é tão inocente assim. Durante décadas milhões de crianças brasileiras riram das aventura de Dick Vigarista e companhia ilimitada atrás de um pombo sem saber que em inglês “pigeon” significa tanto “pombo” quanto “tolo, simplório, burro”. Esta era uma forma racista de os escravagistas dos EUA se referirem aos negros e na língua original “catch the pigeon” era usado para ordenar a captura de escravos fujões.

8| DO PARAGUAI

Muita gente acredita que a expressão, usada para se referir a coisas falsificadas e de pior qualidade, vem dos anos 90, quando havia grande fluxo de contrabando xingling passando para o Brasil através das fronteiras com Paraguai. Equívoco. O termo é originário do tempo das entradas e bandeiras, quando os bandeirantes passavam às margens do rio Paraguai capturavam indígenas, que eram considerados maus trabalhadores. Os portugueses racistas se negavam a absorver esta mão de obra e se referiam aos índios, com desdém, como escravos “do Paraguai” fazendo referência ao rio e não ao país.


Anúncios

9| TOMAR UM LOIRA NO BAR

Os termos “loira/loura” costumam ser usados para se referir à cerveja como uma coisa gostosa e que dá prazer e relaxamento. Você pode está pensando que isto é um exemplo de racismo contra as mulheres loiras, que são objetificadas sexualmente através da metáfora, mas você já devia ter aprendido que não existe racismo reverso. Este é um exemplo de racismo contra as negras e mulatas, que são entendidas como não objetificáveis, não prazerosas e nem gostosas. Tenho certeza de que você nunca viu alguém dizendo “vou beber uma negra” com uma lata de Caracu na mão. Até que lançaram uma cerveja chamada Mulata alguns anos atrás: um duplo exemplo de racismo, primeiro porque objetificava a mulher negra usando uma palavra que vem de mula, depois porque não fez sucesso e foi retirada do mercado.

10| DAR RÉ NO QUIBE

É racismo porque objetifica sexual o homem negro, reduzindo suas existências ao órgão reprodutivo, que tem a cor de um quibe. Perceba que ninguém diz dar ré no croquete, mostrando que homens loiros, com órgão genitais semelhantes em aspecto ao deste salgado não são objetificados sexualmente e são respeitados enquanto pessoas complexas que vão muito além da suas potências eróticas, o que infelizmente ainda não acontece com negros.


3 comentários

  1. Racista é seus partidos de esquerda e direita ferrando TODO MUNDO e vocês perdendo tempo com umas babaquices dessas?
    Quer fazer ALGO DE ÚTIL pro mundo?Faz que nem eu:Vai doar sangue,vai participar de um.sopão coletivo,vai num asilo conversar com algum idoso,etc.
    Coisas REALMENTE ÚTEIS tem de sobra!
    E antes de me criticar,sou neto de negro com índio,pobre,tenho membros na familia homosexuais e amo todos eles.
    Vai caçar algo bom pra fazer!

    Curtir

    1. Muito obrigado pelo seu comentário, Vandoca!

      Só me diz mais uma coisinha: você tem a mais absoluta certeza de que leu o texto antes de comentar? Se não leu, eu sugiro que tenha a bondade, principalmente aquela palavrinha destacada antes do título.

      Ela pode ser deveras importante para a sua compreensão da mensagem, caso você tenha dificuldade cognitiva e não seja suficientemente hábil para captar ironia. Se esforce, e cuidado pra não sujar as calças.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: